de Richard Strauss, 1916

Ano

2008

Local

XII Festival Amazonas de Ópera (FAO)

Regência

Luiz Fernando Malheiro

Direção

Caetano Vilela

Cenografia

Renato Theobaldo e Roberto Rolnik Cardoso

Figurino

Olintho Malaquias

Iluminação

Caetano Vilela

Esta ópera de Richard Strauss é uma complexa projeção das questões contemporâneas que envolvem criação, mecenato e mercado de arte. O conflito do criador que deseja manter sua obra pura e intacta, em contraponto ao mecenato, muitas vezes onipotente e oniciente. O cenário principal é uma rampa em espiral que gira no próprio eixo, alternando a perspectiva de uma área de serviços de uma rica casa burguesa e o salão principal da casa, palco de uma ópera que acontece dentro da ópera. O lustre gigante da casa fica no chão e faz alusão à porta da caverna de Ariadne. Ali ela aguarda eternamente seu amado.