de Gioacchino Rossini, 1816

Ano

2003

Local

Palácio das Artes, Belo Horizonte

Regência

Silvio Viegas

Direção

Carla Camurati

Cenários

Renato Theobaldo

Figurino

Ciça Modesto

Iluminação

Telma Fernandes

Remontagens

Teatro da Paz, Belém do Pará Teatro São Pedro, São Paulo

 
 

Algumas vezes libreto e partitura parecem nos remeter a universos tão distintos, que se tornam a questão central para solucionar a cenografia. Se por um lado o libreto pede para ter portas, janelas, escadas e balcões, para que a trama cômica se desenvolva com facilidade, o universo musical remete a uma transcendência que raramente nos leva ao desejo de uma representação realista.Tentamos alcançar isto através de um desenho sintético do espaço funcional, criando um tratamento de textura nas paredes, que dependendo da luz, revela uma superfície rugosa ou uma transparência quase de aquarela.